A localização da origem da Sueca não é exacta, dai que a sua origem deste jogo tradicional de cartas ainda está envolta em mistério. Desconhece-se, por completo, a sua história e a sua verdadeira origem, mas especula-se que há algumas fontes que apontam que o jogo foi criado em meados do século XV na Espanha, outros acreditam que Portugal foi o berço do jogo e que posteriormente, terá sido dado a conhecer pelos portugueses a cidadãos de outros países, como é o caso do Brasil e Angola, mas também tem quem diga que a Sueca foi uma criação do povo Turco.

Actualmente é jogado por todas as classes sociais e faixas etárias, sendo bastante apreciado por todos aqueles que nele participam e considerado um dos jogos tradicionais mais populares em “cafés”, “tascas” e “associações”, etc.

Apesar de se desconhecer a sua origem, sabe-se qual é o seu propósito pois reza o povo que é para ser jogado por surdos e mudos. Façam silêncio que se vai jogar a Sueca!

Os primeiros exemplares de cartas eram desenhados e coloridos por pintores manualmente. Um dos mais antigos produtores de baralhos de cartas é Roger Borges de Perpinãn, que, já em 1380, é distinguido com o duplo título de pintor e artesão de cartas.
O facto de as cartas serem todas elaboradas a mão fazia delas objectos preciosos. Tendo em conta que apesar de haver leis que proibiam o jogo nessa época na maioria dos países europeus, os jogos de cartas incluíram-se rapidamente entre os costumes de todas as classes sociais.

Uma das melhores produtoras de baralhos de cartas em Portugal é a Litografia Maia, SA, produzindo baralhos de cartas desde de 1926, sendo actualmente a única em Portugal assim como uma das mais antigas na Europa a produzir baralhos de cartas.

Os quatro naipes actuais – espadas, copas, ouros e paus – surgiram na França em aproximadamente 1480. O naipe de paus foi uma evolução da bolota alemã, assim como as espadas surgiram das folhas. As cartas da corte também foram alteradas por volta desta época, para representar a sociedade europeia.

Originalmente eram o Rei, o Cavaleiro e o “Knave” (Servo). A dama surgiu na Alemanha, onde as cartas eram Dama, Rei, Cavaleiro e Valete. Cartas feitas na cidade de Rouen, na França, tornaram-se então o padrão inglês, e cartas feitas em Paris viraram o padrão francês, isso por volta de 1500. No final, houve predominância do padrão parisiense.

Os nome dos naipes surgiram de uma mistura das versões espanhola e francesa: o nome naipes veio de Espanha e os símbolos gráficos que os representam veio de França.

O baralho moderno começou a tomar forma no século 16, com o conjunto de 52 cartas criado pelos franceses. Nessa época, vários países da Europa tinham versões locais dos naipes, como bastões da Espanha ou os pinhões da Alemanha.

omo os logótipos franceses dos naipes eram mais simples e fáceis de imprimir, ganharam popularidade e foram adoptados em outras nações.

Curiosidades

  • Os quatro naipes do baralho de cartas correspondem as quatro estações do ano, acredita-se que as 52 (sem os quatro jokers) cartas no total representam o numero de semanas no ano inteiro.
  • Diz-se que o preto e o vermelho simboliza a noite e o dia.
  • Há 13 cartas por naipes, o mesmo número de ciclos lunares num ano.

Os nossos Encontros...

1º Cartaz